Entenda de Onde Vem os Pensamentos Negativos e Livre-se Deles. - Giorgia Matos Psicanalista
Pensamentos Negativos

Entenda de Onde Vem os Pensamentos Negativos e Livre-se Deles.

Como alterar a forma negativa de pensar, sentir e agir? Conheça a técnica que pode mudar sua vida.

Sabia que o que você pensa, ou seja, a forma como pensa, é proporcional à forma como você se sente?

Só para se ter uma ideia, observe como você olha para uma pessoa depois de ter um pensamento negativo sobre ela. Veja a expressão do seu rosto. Provavelmente estará com um semblante ruim, amargo.

Quer outro exemplo? Se você vai sair de casa e dirigir até o trabalho no meio do trânsito caótico e imagina que vai bater o carro, imediatamente seu rosto ficará tenso, e assim é mais provável que você se envolva em um acidente. Chamamos isso de profecia auto-realizável.

E ano após ano de pensamentos negativos sobre pessoas, situações e até sobre você mesmo, geram estresse e aumentam o cortisol. Isso vai refletir onde?

Isso mesmo, no corpo. No seu organismo, que padece diante de tanta negatividade.

Tendo Consciência dos Pensamentos Negativos

De repente você aparece cheia de doenças e não sabe de onde veio.

A resposta é simples: Do jeito que você pensa, sente e se comporta.

Pensamentos negativos são iguais a destruição, enquanto pensamentos positivos equivalem a florescimento e saúde.

A boa notícia é que tem como você se educar para mudar seu padrão de pensamento.

Existe uma abordagem da psicologia chamada Teoria Cognitiva Comportamental que é focada em mudar/alterar seu padrão de pensamentos disfuncionais, substituindo-os por outros mais realistas e otimistas, ou seja, para a Teoria Cognitivo Comportamental é seu pensamento quem manda.

E esses pensamentos fazem parte de um conjunto de crenças centrais – nucleares ou limitantes – que é acumulado durante toda a vida.

São crenças sobre nós mesmos, sobre o mundo que nos cerca e sobre outras pessoas. E tudo isso contribui para o padrão de pensamento que se tem atualmente.

Trocando em miúdos, um dos objetivos da Teoria Cognitiva Comportamental é: Alterar padrões de pensamentos limitantes, desajustados e distorcidos, ajudando o indivíduo a enxergar o que é real, de fato, e o que está ancorando em crenças centrais que estão prejudicando sua vida.

Quais São Esses Pensamentos Automáticos Distorcidos?

A CATASTROFIZAÇÃO é um deles: É quando acontece alguma coisa negativa qualquer e é dado uma dimensão gigantesca a esse acontecimento. E você acha que o resultado disso vai ser um desastre.

O ideal é você parar, pensar e avaliar a dimensão que está sendo dado para esse evento.

Terão que ser consideradas as opções para essa suposta catástrofe e, se ela ocorrer, de fato, se ela for realmente iminente, você terá que se concentrar no que pode ser feito dali em diante. 

Como se diz no popular: “Não se pode morrer de véspera, quem morre de véspera é peru”.

Uma das virtudes do ser humano é a resiliência. Seja o quer for que aconteça, é superável.

Outro pensamento disfuncional é o TUDO OU NADA, também chamado de POLARIZAÇÃO ou PENSAMENTO DICOTÔMICO.

Esse é bem fácil explicar com um exemplo. A pessoa reprova uma disciplina na faculdade. Pronto! A casa caiu! Ela a partir de então se acha absolutamente incapaz de estar frequentando uma faculdade e só pensa em desistir. 

Vamos ser realistas e razoáveis, né? Você pode simplesmente não gostar daquela disciplina ou o professor é um grosso, machista, narcisista, ensina mal, faz terrorismo e, resultado, você bloqueou. Isso acontece, sabia? Não quer dizer que por reprovar uma disciplina você seja ignorante ou incapaz.

Quem sabe você assistindo essa mesma disciplina com outro professor, ou em outro horário, ou em outro ambiente, a matéria flua?

E tenha cuidado com os rótulos – ou você é inteligente ou você é burro. Às vezes o que acontece é que se tem mais facilidade para humanas do que para exatas, ou vice-versa.

Pense nisso! Saia dos polos! Ser oito ou oitenta não faz bem.

E aquelas pessoas que vivem tentando ADIVINHAR O FUTURO? Pois é, existe esse tipo de gente, sim. Ela abre as cartas do tarô, acende sua bola de cristal e prevê o futuro. Claro, um futuro bem catastrófico, estilo o primeiro pensamento automático mencionado. 

E o resultado? O resultado é que não era nada daquilo que ela havia previsto. Sofreu à toa.

Se, por acaso, aconteceu alguma coisa no passado que foi traumatizante, saiba que não dá para generalizar. Não é porque aconteceu anteriormente que está fadado a acontecer agora, no presente. Ninguém é tão azarado assim! O que aconteceu no passado não determina o que vai acontecer no futuro.

E tem mais: Aceite os desafios. Não seja irresponsável, mas se permita! arrisque-se!

Está com medo de alguma coisa? Dê a cara a tapa. Vá lá e teste sua previsão. Veja se sua bola de cristal está funcionando bem. Se tiver, abra uma tenda porque charlatanismo até que dá dinheiro!

Agora, preste atenção: lembra que eu falei da Profecia Auto-realizável?

Você fala tanto que aquilo vai acontecer que age, inconscientemente, de uma forma que favoreça a profecia. Só tenha cuidado com isso.

Exemplo: Você fala tanto que se for viajar para onde neva vai pegar um resfriado, que sua imunidade baixa, por causa do estresse. E aí, realmente, pega o resfriado.

Outra distorção cognitiva é a LEITURA MENTAL. Isso mesmo! Além de cartomante agora você é adivinho.

Ao falar com o vizinho você é tratado com um pouco de indiferença e conclui que é a pessoa mais desagradável e insuportável do mundo e que ele não gosta de você.

Você nem imagina que ele acabou de perder o emprego e acabou de ter uma discussão com a esposa. Está em seu pior dia.

Há que ser consideradas outras alternativas, outras suposições para a atitude alheia. Não só as negativas.

Existe uma evidência concreta de que ele não goste de você? Se não, admita outras alternativas, seja razoável com si próprio.

Existe um Mecanismo de Defesa do Ego da Projeção, onde você projeta no outro algo que é seu. Então, veja aí se a leitura que está fazendo da outra pessoa não é leitura sua! Quem sabe é você que não gosta dele.

Outra distorção cognitiva (que também é um mecanismo de defesa): GENERALIZAÇÃO. Acontece um caso isolado e, na sua cabeça, esse caso isolado é o padrão.

Se você é traído, passa a acreditar que todo mundo trai. E é esse o padrão que você, que generaliza tudo, está fadado a guardar na memória.

É o famoso padrão do “todo mundo”, “sempre” e “nunca”.  

O segredo aqui é parar de fazer julgamento.

Minimização é outro pensamento negativo chamado DESQUALIFICANDO O POSITIVO.

Esse dá raiva. Você conhece gente que só consegue achar o lado negativo das coisas? Ele consegue a façanha de transformar coisas positivas em negativas com uma facilidade surpreendente. 

Dá vontade de dizer: “Pessoa, tu vais morrer desse jeito!”

Não existe lado positivo em nada, porque ele só enxerga o negativo.

Desqualifica completamente o positivo, seja o que for. 

Se é elogiado é porque o outro está com segundas intenções; se foi promovido é porque querem explorá-lo e não por ter capacidade.

O que falta aí: Talvez falte um “obrigado pelo elogio” e “eu aceito a promoção”. 

Enquanto ele estiver neste padrão de pensamento que desqualifica o positivo, essas frases não sairão de sua boca. 

Continuando, me diz uma coisa: Você tem BAIXA TOLERÂNCIA À FRUSTRAÇÃO? Ninguém gosta de se frustrar, mas não suportar um desconforto temporário, sempre? Isso é um erro de pensamento – pensamento disfuncional. 

É achar que está muito difícil e desiste-se no primeiro obstáculo; é sofrer desesperadamente quando algo não dá certo.

Já a PERSONALIZAÇÃO é achar que tudo está relacionado à você. Tudo é levado para o lado pessoal. Tudo no mundo é culpa sua.

Talvez tenha até um traço de narcisismo aí, porque achar que tudo no mundo gira em torno de você não é normal. É, no mínimo, estranho.

Livre-se dos Pensamentos Negativos

É muito importante catalogar todas essas distorções de pensamentos e saber em qual ou quais você está incidindo. Esse é o primeiro passo.

Anote seus pensamentos automáticos – esses que vem de forma quase que instantânea, sem você se dar conta – sempre que uma situação, um gatilho, ocorrer.

Exemplo: Você encontrou uma amiga no shopping e ela não se aproximou. Deu um tchauzinho de longe.

Você diria:   “o que eu fiz a ela?” Seu pensamento automático distorcido será de Personalização, ou seja, tudo é culpa sua.

Tente perceber o que de fato aconteceu no momento. Seja realista. Será que ela estava com pressa? Ou será que ela está triste com algo e não quer incomodar você? 

Podem ser mil coisas, mas não cabe a você ficar conjecturando.

Anote seus pensamentos deturpados toda vez que ele aparecer e reflita sobre eles.

Essa tarefa pode ser difícil para algumas pessoas, porque esse tipo de comportamento provavelmente já vem sendo vivido há muito tempo, mas o importante é o primeiro passo.

E não descartar a ajuda profissional de um psicólogo que trabalhe com Terapia Cognitiva Comportamental. Dessa forma a mudança de comportamento é muito mais eficaz, rápida e duradoura. Isso porque o psicólogo conduzirá o paciente na maneira correta de utilizar a técnica. Além disso, ele irá psico-educar o paciente, ou seja, ensinará como ele continuará a tarefa em casa, quando o tratamento estiver concluído.

5 Compart.