Ato Falho: Quem Nunca Cometeu um Lapso? — Giorgia Matos, Psicanalista
ato falho em Freud, lapso de memória, linguagem

Ato Falho: Quem Nunca Cometeu um Lapso?

Você já ficou constrangida ao trocar o nome de alguém? Ou tentou lembrar o nome de determinado perfume e só vinha outro nome na memória?

Já respondeu uma pergunta dizendo “sim” mas balançando a cabeça como um “não”?

Pois saiba que não acontece só com você esses lapsos de memória. Eles são bem comuns e até estudado por intelectuais.

Ato falho ou parapraxia é algum gesto ou atitude que se faz supostamente sem querer, como: lapsos de memória, comportamento e linguagem.

Às vezes você diz certa coisa e, – opa – me enganei. Isso é um lapso.

São aqueles deslizes que são cometidos diariamente. E em algumas situações são realmente bastante constrangedoras.

São expressões, atos, gestos e palavras que você usou sem querer mas que na verdade ela é uma expressão que foi manifestada indiretamente pelo seu inconsciente.

Ou seja, são desejos reprimidos alojados no inconsciente.

E tem como você saber por que isso acontece? E que desejos são esses?

Ato Falho em Freud

Parapraxia, lapso, Ato Falho

Sigmund Freud, um neurologista e pai da psicanálise, tem um livro muito interessante chamado “Sobre a Psicopatologia da Vida Cotidiana”, de 1901, em que ele aborda todas as situações envolvendo atos falhos de escrita, leitura, fala, memória e comportamento. Fala ainda de lembranças encobridoras e atos casuais e sintomáticos.

Para Freud nenhum erro acontece acidentalmente, tudo faz parte de desejos inconscientes sendo manifestados naquele momento.

Ato falho é isso: é a intenção consciente de um desejo inconsciente, ou seja, é o que está no inconsciente que escapou para o consciente.

Entretanto, às vezes você não sabe o real significado daquela representação simbólica.

Quando você esquece de alguma coisa, ou faz um gesto inoportuno, ou escuta algo errado esses comportamentos não significam nada para outra pessoa, mas para você ele tem um sentido oculto, que se bem investigado ele pode ser facilmente descoberto.

Você já ouviu falar que sonho é uma formação de compromisso do inconsciente?

Pois é, ato falho também é uma formação de compromisso. Assim como o sintoma também o é.

Isso porque eles são produções do inconsciente. São resultados de conflitos.

É uma forma de driblar a censura e aparecer no consciente: aí aparece como? Como Ato Falho.

O termo censura, para os psicanalistas, pode ser substituído por Superego.

E tem como saber que desejos reprimidos são esses que estão sendo censurados?

Associação Livre de Idéias

Divã, psicanalista, psicólogo, terapia

Sim, há como saber o que você estava realmente pensando quando chamou seu namorado pelo nome do seu “ex”.

É fácil a dedução desse exemplo mas alguns não são tão fáceis assim. E para isso usamos uma técnica chamada por Freud de Associação Livre de idéias, em que você, geralmente em sua análise pessoal, diz tudo o que vier à mente sem receio, sem medo e sem juízos de valor.

No caso do erro em questão, ou seja, do ato falho, você pensará (se estiver sozinha) ou falará (se estiver em análise) em tudo que for referente ao lapso. Fará uma cadeia associativa dos acontecimentos.

Dessa forma se chegará ao real sentimento que estava associado ao lapso.

E esses lapsos acontecem constantemente na vida de todos. O que você não sabia é que o que foi falado era o que seu inconsciente realmente queria transmitir.

Cuidado quando for falar com a sogra! Fica a dica.

Deixe um Comentário:

2 Comentários
Deixe Sua Resposta
2 Compart.