Ciúme Excessivo ou Transtorno Borderline? Entenda a diferença.
Menina sofrendo com transtorno borderline

Ciúme Excessivo ou Transtorno Borderline? Entenda a diferença

“Corações descontrolados. Ciúme, raiva, impulsividade. O jeito borderline de ser”.

Esse é o título de um livro da autora Ana Beatriz Barbosa Silva, (um livro excelente, por sinal) sobre um transtorno não muito conhecido: o Transtorno da Personalidade Borderline.

Mas se você está esperando que ele fale unicamente sobre ciúme, essa não é bem a intenção do livro. Ele fala do transtorno em geral, que tem vários sintomas, dentre eles o ciúme exagerado.

Algumas pessoas já me perguntaram:

“Giorgia, eu, que sou ciumenta, sou borderline?”

Se você chegou até aqui é porque está com sérias dúvidas se tem ou não este transtorno, não é verdade?

Mas a resposta é: NÃO necessariamente.

Apesar dos sintomas serem parecidos há diferenças importantes entre um e outro. E como você verá agora, para que fique tranquila, não há uma correlação direta entre ser borderline e sentir ciúmes demais.

Então vamos lá! Primeiramente você vai aprender o que sente um borderline e descobrir porque é normal as pessoas confundirem o transtorno com o ciúme patológico.

Como diz Ana Beatriz Barbosa Silva:

“Todos nós apresentamos momentos de explosões de raiva, tristeza, impulsividade, teimosia, instabilidade de humor, CIÚMES EXCESSIVOS, apego afetivo, desespero, descontrolo emocional, medo da rejeição, insatisfação pessoal.

 E, quase sempre, isso gera transtornos e prejuízos para nós mesmo e/ou para as pessoas ao nosso redor.

 Porém, quando esses comportamentos disfuncionais apresentam-se de forma frequente, intensa e persistente, eles acabam por produzir um padrão existencial marcado por dificuldades de adaptação do indivíduo ao seu ambiente social.

Quando isso ocorre podemos estar diante de um quadro bastante complexo, confuso e desorganizado, denominado transtorno de personalidade borderline (TPB) ”.

Se você se identificou com todos os sintomas acima, calma! Muita calma nessa hora! Nada de colocar as mãos na cabeça, com a boca aberta e os olhos arregalados.

Saiba que não é só isso. O borderline ainda tem outros, digamos, “probleminhas sérios”.

Exemplos: um medo muito grande de ser abandonado; ele é impulsivo em relação a gastos, uso de drogas, sexo desprotegido, compulsão alimentar, para citar alguns; tem comportamento automutilante, ameaças suicidas e, em alguns casos, chega até ao suicídio; sentimento crônico de vazio; brigas físicas recorrentes entre outros sintomas complexos.

O que o ciúme patológico pode causar?

Casal brigando devido a ciúme demais. Relacionamento frustrado

No ciumento patológico não encontramos esse tipo de comportamento do borderline, apesar de um ou outro se manifestar, mas não é a regra.

As crises de ciúme, os excessos, os vexames, o sentimento de posse, os surtos, a falta de controle, a fiscalização, enfim, vários comportamentos inapropriados causam grande dor emocional tanto a você, que tem ciúmes, quanto a seu parceiro, mas não são sintomas tão marcantes quanto quem sofre do transtorno da personalidade borderline.

O ciumento patológico está contido no borderline, ou seja, todo borderline é um ciumento em potencial, mas a recíproca não é verdadeira.

Tratamento para o ciúme excessivo e transtorno borderline

Transtorno borderline tem cura? Tratamento da Psicanálise

Se você se identificou com algum dos sintomas do transtorno borderline, você deve procurar ajuda profissional para sanar a dúvida pois o tratamento de um e de outro diferencia bastante em alguns pontos.

E se você for diagnosticado como um ciumento excessivo e na verdade for um borderline, o problema pode se agravar, já que não está tendo a atenção devida, pois o transtorno da personalidade borderline é uma doença bem mais grave, que necessita, inclusive, de indicação farmacológica.

Se ainda restou alguma dúvida entre a diferença entre um e outro problema, no livro “Ciúme Patológico, Passando dos Limites” você encontra informações mais detalhadas sobre as distinções entre cada um e um plano de tratamento para cada caso.

Siga-me no Instagran: @giorgiamatos, @psi_em_topicos

Deixe um Comentário:

2 Comentários
Deixe Sua Resposta
2 Compart.