Mãe Narcisista: Minha Mãe Não me Ama — Giorgia Matos Psicanalista
existe mãe que não ama a filha? mãe narcisista

Mãe Narcisista: minha mãe não me ama!

Você já teve a impressão de que sua mãe não te ama? Que tudo o que você faz está errado e ela é sempre a dona da razão?

Saiba que pode não ser só impressão. Existem mães assim.

E tem toda uma problemática envolvendo isso. Talvez ela nem seja assim porque queira. Mas tem algo dentro dela que não vai bem.

E o caminho que ela encontra para, inconscientemente, se sentir bem é te fazendo mal.

Existem muitas mães que são verdadeiras aberrações emocionais no que se refere ao relacionamento com as filhas, com atitudes absurdas e fazendo da vida delas um inferno.

A filha faz de tudo para agradar a mãe, para se sentir querida e amada, mas todo esse esforço não surte efeito algum, porque a mãe não a ama. Nada está bom o suficiente para ela. Não há orgulho, não há empatia, não há compreensão.

Há, inclusive, grupos nas redes sociais para filhas de mães narcisistas, em que elas trocam informações, dão depoimentos e se apoiam mutuamente.

As filhas são as vítimas mais frequentes, mas os filhos também podem sofrer o mesmo mal. Inclusive, pais também podem ser narcisistas. Mas, de fato, o que predomina é mãe e filha.

Às vezes, nem todos os filhos sofrem os maus tratos: geralmente a mãe elege somente um. O que a faz sentir mais intimidada, o que ela tem mais inveja e ciúme.

Sobre o mito de Narciso

A mitologia Grega diz que havia um rapaz muito conhecido por sua beleza exuberante e seu orgulho extremo.

“Narciso terá uma vida longa, desde que não veja sua própria imagem”, disse um oráculo.

Em um dado momento da história, Narciso, que despertava o amor dos outros por onde passava e os tratava com desdém, devido a seu orgulho, apaixona-se por sua própria imagem, refletida em um lago.

E ao tentar abraçar sua imagem, cai no lago e morre afogado.

Esse é um resumo de uma das variantes do mito, pois há várias versões, mas todas transmitem o mesmo tema: um rapaz muito bonito, vaidoso, orgulhoso e insensível, que morre apaixonado por si próprio.

Atitudes inacreditáveis de minha mãe

por que minha mae tem raiva de mim?

Você pode achar que não existem mães que não amem os filhos. Mas existem. Além de não amar, ainda praticam todos os tipos de comportamentos repudiados que se possa imaginar, como lesões corporais e abusos psicológicos. Às vezes até abusos sexuais.

Uma mãe narcisista costuma ser uma pessoa sufocante, que só se sente feliz com a infelicidade da filha. Ela é amarga, cruel, baixa, arrogante, rude e hostil.

A sua mãe é assim?

Ela não aguenta te ver feliz, dá um jeito de acabar com sua alegria, ela denigre sua imagem para qualquer pessoa, para seus amigos e os dela. Sem receio, sem vergonha e sem remorso. Isso lhe dá prazer.

Ela atribui a você todo tipo de defeito: você é burra; não sabe fazer as coisas direito; não sabe se vestir, se portar, se comunicar; é incompetente; inconsequente… e por aí vai.

Ela não poupa desaforos, no intuito de sempre lhe deixar para baixo, chegando, inclusive, a agredir fisicamente, em alguns casos.

Você já se sentiu como uma serva de serviços domésticos? A que lava, passa, faz a comida e ainda cuida dos irmãos?

É assim que ela a vê. Como uma serva.

Para as pessoas de fora desse entorno mãe e filha, ela é a melhor pessoa do mundo. Sempre alegre, cuidadosa, dedicada, bem vestida, inteligente, articulada. Uma mãe, esposa e dona de casa exemplar.

Se você comenta algo diferente disso com alguém, é tida como problemática, fantasiosa e  ingrata.

As pessoas não vão acreditar pois ela transmite uma imagem de mãe perfeita na frente dos demais.

O abuso psicológico e físico às vezes chega ao extremo e você não tem como se defender nem com quem falar.

Se eu sofro? Eu morro lentamente

lenços para enxugar lágrimas da filha de mãe narcisista

Depois de tanta rejeição da pessoa que você mais ama na vida, você adquire traumas profundos em seu emocional. Baixa auto-estima; complexo de inferioridade; falta de confiança em si mesma e nos outros; ciúme exagerado, por medo de não ser amada pelo parceiro; insegurança, auto crítica elevada, e não para por aí.

Poderá até sofrer de transtorno de conversão, que é quando você transforma a dor emocional em dor física, apresentando alguns sintomas supostamente causados por doenças orgânicas, mas que não são encontradas comprovações diagnósticas em exames médicos, como: dores de cabeça constantes, insônia, enjôo, dores no coração, dificuldade de respirar, visão ruim, incapacidade de falar ou andar e outras.

De fato você tem o sintoma, mas não tem a doença referente àquela sintomatologia.

Ansiedade generalizada, síndrome do pânico, depressão e transtorno do estresse pós traumático também são algumas das patologias emocionais causadas por tudo que você vem passando.

Você cresce com todo tipo de consequência dolorosa em seu emocional, porque você reprime o que sente, já que tem medo de sua mãe revidar com mais abuso, inclusive debochando de suas palavras. E toda essa repressão dos sentimentos negativos vai repercutir lá na frente.

Se, já na idade adulta, você erra alguma coisa no trabalho, é imediatamente transportada aos sentimentos de abuso sofridos na infância e adolescência. Você lembra-se de sua mãe a chamando de burra e incompetente: “a que não sabe fazer nada direito.”

Com sua baixa auto-estima e pouca confiança em si mesma, tem medo de tomar decisões e sempre recorre ao marido ou amigos próximos para pedir opinião antes de tomar alguma decisão.

Não compra um apartamento, não fecha um negócio, não faz uma viagem, não compra nem uma roupa, sem recorrer aos outros, tamanha é sua dependência, por se achar inferior e incapacitada, ao mesmo tempo em que você não confia em ninguém e está sempre atenta a se as pessoas estão tentando te passar a perna.

Parece uma contradição mas é a realidade.

Provavelmente irá se relacionar com parceiros inadequados, justamente pelo fato de se contentar com pouco e não se achar merecedora de algo melhor. Sem falar no que, na psicanálise, chamamos de compulsão à repetição, que é quando repetimos comportamentos vivenciados na infância porque são familiares ao que você está acostumada.

Geralmente, filhas de mães narcisistas têm sentimentos e comportamentos autodestrutivos, recorrendo, por vezes, às drogas, bebidas e, em casos mais graves, ao suicídio.

O que minha mãe tem de errado

mãe com transtorno, desequilíbrio emocional

Sua mãe é uma pessoa cheia de conflitos mentais inconscientes. Muito mais do que você imagina. Nem ela mesma se dá conta de que tem problemas. Para ela está tudo certo e os outros é que não a compreendem.

Ela se sente extremamente inferior, e usa uma carapuça de superior para esconder de si própria sua imperfeição.

Na realidade, ela tem auto-estima baixa e usa da suposta superioridade para esconder uma personalidade fraca.

Ela é emocionalmente desequilibrada e rebaixar você a faz se sentir viva, cheia de energia, poderosa e dominadora.

Sua mãe sofre de um transtorno de difícil tratamento. E isso torna as coisas complicadas para ambas.

Narcisismo é um transtorno

O narcisismo é um transtorno da personalidade e encontra-se classificado no DSM-5 (Manual Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais).

Diz que a pessoa acometida por esse transtorno sente-se grandiosa; tem necessidade de admiração por todos e não tem sentimento de empatia.

Conforme diz o DSM-5:

  1. Tem uma sensação grandiosa da própria importância ( exagera conquistas e talentos, espera ser reconhecido como superior sem que tenha as conquistas correspondentes;
  2. É preocupado com fantasias de sucesso ilimitado, poder, brilho, beleza ou amor ideal;
  3. Acredita ser “especial” e único e que pode ser somente compreendido por, ou associado a, outras pessoas (ou instituições) especiais ou com condição elevada;
  4. Demanda admiração excessiva;
  5. Apresenta um sentimento de possuir direitos (expectativas irracionais de tratamento especialmente favorável ou que estejam automaticamente de acordo com as próprias expectativas.
  6. É explorador em relações interpessoais (tira vantagem de outros para atingir os próprios fins);
  7. Carece de empatia: reluta em reconhecer ou identificar-se com os sentimentos e as necessidades dos outros;
  8. É frequentemente invejoso em relação aos outros ou acredita que ou outros o invejam;
  9. Demonstra comportamentos ou atitudes arrogantes e insolentes.

Tudo isso está descrito no Manual dos Transtornos Mentais e só prova que a mãe narcisista tem uma patologia e que precisa de cuidados médicos.

Reagindo, enfim

mãe narcisista - por giorgia matos psicanalista

Infelizmente você tem que ter em mente que narcisismo é um transtorno de difícil solução,  justamente por a pessoa não achar que exista defeito nela, ou seja, não achar que tenha algum problema .

Cabe, então, a você, tomar as medidas necessárias para modificar sua situação e não permanecer mais sendo vítima de sua mãe.

É doloroso? Sim.

É angustiante? Sim.

Você já viu que não há diálogo com sua mãe. Por mais que tente mostrar a ela o que está acontecendo, não surte efeito algum.

Sua mãe é o que é, e nada nem ninguém vai mudá-la. Não sem uma vontade genuína dela e, principalmente, a compreensão e aceitação de que tem um problema e precisa de ajuda.

O que fazer, então?

Você não quer mais permanecer nessa situação de humilhação e constrangimento, correto?

Mesmo amando sua mãe, isto tem que ter um fim.

É tudo muito doloroso e faz um mal inimaginável, que vai repercutir por toda sua vida, em todos os aspectos, seja profissional, social ou amoroso.

Algumas filhas saem de casa, quando já tem idade para isso. Vão morar com tios, avós, ou até mesmo em um pensionato. Com certeza, nesses ambientes elas se sentem mais acolhidas.

Algumas têm condições financeiras para arcar com as despesas de uma residência própria e vão morar sozinhas.

Mas nem tudo são flores, e qualquer decisão que você tome, terá que ter força para enfrentar a nova realidade e a receber de braços abertos. Inclusive ter força para enfrentar também os comentários das pessoas que estão de fora e não sabem o que se passa.

Acontece muito também de você, a vítima de sua mãe, se sentir culpada por a ter deixado. É um contra-senso mas acontece, é normal. Afinal, apesar dos pesares, ela é sua mãe.

Algumas filhas usam a tática de não revidar.

A experiência mostra que medir força com uma mãe narcisista, é inútil. É um gasto de energia desnecessário. Ficando quieta a filha a desestrutura, pois o que ela quer é isso: que a filha sofra, fique triste, vulnerável e deprimida. E se a filha não reage ela perde o chão.

Ignorar, então, tem se mostrado uma boa atitude, porque ela não terá seu objeto de briga disponível.

E quanto ao seu psicológico?

Essa questão já é mais complicada. Depois de anos sofrendo todo tipo de abuso psicológico e emocional, o mais indicado é você procurar ajuda profissional para resgatar sua auto-estima perdida, sua confiança em si mesma e nos outros, sua dignidade, sua força, sua coragem para enfrentar a vida, e muitas outras qualidades que sua mãe furtou.

Não será um percurso fácil. Será doloroso, mas necessário. Com certeza você irá superar

Nessa sua jornada, com seu psicanalista, por exemplo, você vai recordar muitos fatos que você presenciou, vai repetir inúmeras vezes os acontecimentos, até, enfim, elaborar todo seu sentimento em relação a tudo isso.

Não perca as esperanças. Você vai ser tudo que sempre sonhou. É só uma questão de tempo e um bom acompanhamento analítico.

Siga-me no Instagran: @giorgiamatos, @psi_em_topicos

Deixe um Comentário:

1 Comentário
Deixe Sua Resposta
321 Compart.