Ciúme doentio tem cura? Clique e saiba tudo — Giorgia Matos, Psicanalista
ciúme doentio, patológico, excessivo tem cura

Ciúme Doentio tem cura?

Você é uma pessoa ciumenta? Que não suporta ver o parceiro olhar para o lado e já fica desconfiada? Tem crises de ciúme descontrolado em público?

Você já se pegou bisbilhotando o celular do seu parceiro atrás de uma suposta prova de traição?

Então você não é diferente de muitas pessoas que sofrem e fazem os outros sofrerem com um ciúme além do normal.

Aquele ciúme chamado de patológico e que destrói relacionamentos que tinham tudo para dar certo.

E esse ciúme tem uma causa específica? Quais as consequências? Tem tratamento?

Essas perguntas também fazem parte do acervo de questões comuns de todo ciumento. E todos eles buscam encontrar uma resposta.

O ciúme além do normal, também chamado patológico, doentio e excessivo é um sentimento bastante comum, apesar de não parecer. E isso se deve ao tabu que encontramos em nossa sociedade ao se falar de sofrimento mental.

Esse tabu em se falar de saúde mental, apesar de ainda existir muito, tem diminuído, na medida em que diversos meios de comunicação tem se prestado a divulgar matérias referentes a esse assunto, como é o caso da Campanha Janeiro Branco.

Ninguém precisa passar uma vida inteira sofrendo por algo que pode ser resolvido. E o primeiro passo é o conhecimento.

Conhecendo de onde vem o ciúme, quais as causas que tornaram você extremamente ciumento, quais as consequências e quais as alternativas para mudar esse cenário, todos podem viver muito bem, livres de ciúme e todas as consequências prejudiciais que esse sentimento traz.

Quais as causas do ciúme doentio?

causas do ciúme doentio, consequências do ciúme patológico

Essa pergunta: “quais as causas do ciúme doentio?” não é uma pergunta fácil, apesar de ela ter resposta.

Mas essa resposta pertence a cada um. É um fato bastante subjetivo e que vai depender da experiência de vida pessoal.

Isso quer dizer que todo ciumento passou por determinadas situações que predispôs ele ao comportamento atual.

E é isso o que interessa nesse momento. Isso é o que tem que ser investigado de início. Você saber o que aconteceu em sua vida que tenha marcado de tal forma que comprometeu o seu psíquico.

Essa tarefa é árdua e demanda tempo. Às vezes é bastante sofredor, mas é necessário.

As causas prováveis são das mais variadas:

  • Carência Afetiva Infantil é um fato bastante comum e que prejudica de uma forma ampla a vida pessoal, social e profissional da pessoa que sofreu da carência chamada síndrome do abandono infantil. Comportamentos como: negligência, humilhação, indiferença, abuso físico e psicológico, entre outros, causam sequelas profundas na vida de uma criança e ela carrega esse sentimento de abandono para o resto de sua vida, se não houver um acompanhamento profissional;
  • Bullying sofrido na escola, com os amigos ou até mesmo no entorno familiar causa um sentimento de inferioridade prejudicial na criança e que compromete muito na vida adulta;
  • Trauma de traições anteriores também é um fator que não passa despercebido, já que a vítima da traição adquire um medo de que ocorra novamente um fato já vivenciado;
  • Você ter presenciado comportamento de infidelidade dos pais torna-se, também, um fator a mais para desencadear o ciúme doentio. É o que se chama na psicanálise de “generalização”. É um mecanismo de defesa do Ego em que a pessoa generaliza, ou seja, acha que porque certa pessoa agiu assim, todos irão agir igual.

Essas são só algumas das possíveis causas dentre as muitas que podem ter ocasionado esse sentimento de inferioridade, baixa autoestima, insegurança, pouca confiança em si mesma e nos outros, que, consequentemente, causam o ciúme doentio.

Ciúme Patológico, preciso de ajuda

ajuda psicológica, psicanalítica para o ciúme doentio, patológico e excessivo

Existem tratamentos para o ciúme doentio? Ciúme doentio tem cura?

Existem tratamentos para o ciúme doentio, sim.

Quanto à questão da cura não se pode falar dessa forma porque o ciúme patológico não é uma doença orgânica, mas uma doença psíquica. Então o ideal é se falar em tratamento.

E, sim, essa é a resposta. Tem tratamento sim.

Esse tratamento tem que ser trabalhado caso a caso, de forma bastante individual, dado o contexto subjetivo do problema.

Mas em todos os casos, o mais interessante é que, além do conhecimento, como é o caso da leitura de um livro que aborde o tema, procure-se também um apoio profissional.

E existem vários profissionais, entre psicólogos e psicanalistas estudiosos no assunto, que podem ajudar no tratamento do ciúme patológico.

Esses profissionais possuem as técnicas adequadas a serem utilizadas em cada caso, cada um de sua forma, mas todos com resultados satisfatórios.

Ninguém precisa passar o resto de sua vida preocupado com seu parceiro, onde ele foi, com quem fala, o que faz, se está mentindo ou não. O ciúme doentio não é um comportamento que nasceu com a pessoa. Ele foi adquirido e da mesma forma que esse sentimento surgiu, ele pode deixar de existir.

Basta uma atitude sua. Não perca tempo. A vida é curta mas viver assim a torna longa, longa de muita dor.

Deixe um Comentário:

9 Comentários
Deixe Sua Resposta
10 Compart.